60 dicas pra você economizar dinheiro

1. Registre todas as despesas:

Como você pretende controlar seu dinheiro se você não sabe pra onde ele está indo? Este é o primeiro passo pra quem quer começar a poupar dinheiro. Pra ajudar nesta tarefa, você tem duas opções:

1. Guardar todas as notinhas do cartão e anotar cada uma das suas despesas em uma planilha de gastos (Não vale esquecer nenhuma!);

2. Escolher uma ferramenta automática que puxe todas as suas movimentações bancárias automaticamente em menos de dois minutos.

2. Crie metas para seus gastos:

Agora que você já sabe exatamente quanto gasta, que tal criar metas pras suas despesas? E mais: dividir tudo isso em categorias! Temos uma regrinha geral, mas cabe você ver se isso serve pra você:

– 50% da renda pros gastos essenciais: todos aqueles necessários pra você se manter no dia a dia, como aluguel, mercado, o ônibus, a gasolina, etc.

– 15% da renda pras prioridades financeiras: se você estiver endividado, sua prioridade será quitar as dívidas. Nada de comprar blusinha! Se não estiver com dívidas, a prioridade é investir.

– 35% da renda pro estilo de vida: todos os gastos relacionados a hobbies e lazer, como academia, salão de beleza, compras no shopping, etc.

É, nós sabemos: não está sendo fácil. É muita despesa pra pouca renda, mas nas próximas dicas você encontrará sugestões pra reduzir cada uma dessas categorias de despesas.

3. Despesas pra cima, renda pra baixo:

Na hora em que estiver criando as metas pro seu orçamento, arredonde as despesas pra cima e a renda pra baixo. vale o ditado: é sempre melhor sobrar do que faltar.

4. Pague suas contas no mesmo dia:

Mude a data de vencimento de todas as suas contas fixas pra logo após o dia em que cai o seu salário. Assim fica bem mais fácil se organizar. O dinheiro entra, você já paga tudo o que deve e fica na conta apenas com o dinheiro necessário pra passar o mês.

5. Crie prazos para seus objetivos:

Você quer quitar suas dívidas? Até quando? Quer juntar dinheiro pra comprar um carro? Daqui quanto tempo? Quando as metas têm data ficamos mais motivados pra cumpri-las no prazo. 

6. Fale sobre dinheiro em família:

Se você é casado, o tema dinheiro deve fazer parte do dia a dia do casal. Se tem filhos, o mesmo vale pra família. Transparência e sinceridade são os caminhos mais fáceis pra conseguir reorganizar as contas da casa. 

7. Pense em como ganhar mais:

Pra que ficar dependendo apenas do seu salário, quando você pode distribuir os ovos em várias caixinhas? Já pensou em pegar um trabalho freelancer pra fazer à noite ou nos fins de semana? Ou então, que tal transformar um hobby (costurar, pintar, cozinhar) em uma nova fonte de renda?

8. Renda variável não é desculpa:

Profissionais autônomos e freelas costumam ter dificuldade em saber quanto vai ganhar no mês. A dica é olhar pros últimos 12 meses e calcular quanto foi o maior ganho, o mínimo, a média e se teve sazonalidade (os meses em que todo ano você costuma ganhar mais e menos).

E lembra dos gastos essenciais? O ideal é que eles caibam na renda mínima. Nos meses em que ganhar acima da média, já sabe o que fazer né? Mande a diferença pro investimento.

A gente tem um exemplo:

Imagina que seu ganho mínimo é de R$ 3 mil e o máximo, de R$ 5 mil. A renda média fica em de R$ 4 mil. No mês em que você ganhar R$ 4,5 mil, pode enviar R$ 500 pro investimento.

Como economizar dinheiro?
Diminua seus gastos!

9. Dê férias ao cartão de crédito:

O grande problema do cartão de crédito é nos dar a falsa impressão de que temos mais dinheiro do que temos na realidade. Se você tem cartão é está difícil para de usá-lo, anota a dica: tire o cartão de crédito da carteira por alguns meses e pague tudo à vista. Aqui vale radicalismo sim de até cancelar a raiz do mal.

10. Vá fazer compras com dinheiro vivo:

Outra dica infalível pra quem não quer gastar mais do que o planejado no supermercado ou no shopping é ir fazer compras com o dinheiro contado na carteira. A gente se preocupa mais em saber quanto está gastando e, se a compra der mais do que tem na carteira, você será obrigado a deixar algumas coisas na prateleira.

11. Pare de se consolar com compras:

Depois de uma semana difícil de trabalho, muita gente merece se recompensar com uma bela compra, certo? Errado (pelo menos muitas vezes). A questão não é de merecimento. É claro que você merece, afinal, você trabalhou duro, mas a questão nessa situação é priorizar (ou não) seus objetivos. Você pode se recompensar com algo menor no dia a dia. Seja firme!

12. Compre em lojas de departamento…

Por que você faz tanta questão de comprar só roupas de marca? Você já experimentou comprar pelo menos as peças básicas em lojas de departamento? Os preços são bem mais convidativos.

13. …mas compre também algumas peças de qualidade:

É importante também gastar um pouco mais em algumas peças de melhor qualidade, que duram mais. O barato muitas vezes sai caro. O segredo é equilibrar algumas compras nas lojas de departamento e outras, que valham mais a pena, em lojas que ofereçam produtos mais caros, desde que sejam mesmo de melhor qualidade.

14. Utilize os programas de recompensa do cartão de crédito:

A essa altura do campeonato, você já deve ter dado umas férias pro seu cartão de crédito, mas se você realmente abusou dele nos últimos meses, o lado positivo é poder colher os frutos agora.

Confira o número de pontos acumulados no programa de recompensas vinculados ao seu cartão. Você pode encontrar no catálogo algum produto de que esteja precisando e, ao resgatar os pontos, não precisará gastar com isso. Às vezes, ao invés de pontos os gastos valem cashback (um desconto na próxima fatura) ou milhas pra você viajar. Se informe pra saber qual é o benefício do seu cartão e não deixa passar não!

15. Peça mais coisas emprestadas:

Quantas vezes no ano você usa uma furadeira? E um vestido longo de festa? É preciso mudar a cultura de que precisamos ter tudo. Em vez de comprar, por que não emprestar essas coisas do vizinho ou de uma amiga? Hoje em dia já tem até sites que fazem essa ponte.

16. Doe o que não usa mais:

Além de ser um bonito gesto de desapego, quando você doa o que não usa mais, fica mais fácil de saber o que você tem e o que não tem. Aí, quando você sentir vontade de comprar algo, é só verificar se você realmente precisa daquilo ou se você já tem uma peça parecida que passava despercebida no fundo do guarda-roupa.

17. Antes de comprar, avalie se não vale a pena consertar:

Quando um eletrodoméstico quebra ou uma roupa de que você gostava não serve mais, você sai correndo pro shopping? Da próxima vez, reavalie a necessidade de ter uma coisa nova. Muitas vezes consertar sai mais barato.

18. Não abra e-mails de ofertas:

Nossas caixas de e-mail estão cada vez mais lotadas de “oportunidades imperdíveis” de lojas online. Não consegue se controlar à tentação de uma boa promoção? Então, corte o mal pela raiz e não dê mais chance pra ela. Não abra mais e-mails marketing e deixe de pegar catálogos de lojas.

19. Separe um dia por mês pra não comprar nada:

Mais do que uma necessidade, consumir acaba virando um hábito e é aí que surge o perigo das compras por impulso. Pra se prevenir disso, separe um dia por mês pra não gastar absolutamente nada. Leve comida de casa pro trabalho, pegue uma carona e nada de cafezinho depois do almoço (pelo menos um dia, lembra?). Você verá que é, sim, possível viver sem gastar tanto.

20. Considere comprar coisas fora do Brasil:

É verdade que não é sempre que temos a oportunidade de viajar pro exterior, mas vira e mexe conhecemos alguém que vai pra fora. Nessas ocasiões, se você estiver precisando de aparelhos eletrônicos, cosméticos ou roupas, vale considerar a possibilidade de comprar esses itens no exterior, que costumam ser bem mais baratos, dependendo do momento do câmbio.

21. Pequenos prazeres:

Uma volta no parque, um cochilo na rede, um piquenique no jardim e um filme com pipoca em uma tarde chuvosa podem ser bem mais divertidos e recompensadores do que programas caros. Comece a valorizar mais as coisas simples da vida. Sua mente e seu bolso agradecem.

22. Use cupons:

A oferta de sites que oferecem cupons pra restaurantes, programas culturais, viagens e tratamentos estéticos é enorme. Comece a frequentar portais pra ficar a par das promoções e aproveitar as ofertas. Uma boa opção é o SaveMe, que reúne ofertas dos principais portais de cupons.

23.  Saia menos:

Você não precisa passar o fim de semana inteiro trancado em casa, mas se você costuma sair sexta, sábado e domingo, abrir mão da balada em um desses dias terá um grande impacto sobre a sua grana. Trocar o restaurante por um jantar no apê com os amigos também é uma boa pedida pra gastar menos.

24.  Aprenda a dizer não:

Quantas vezes você já prometeu ficar em casa no fim de semana, mas acabou cedendo à pressão da turma pra sair (e gastar demais)? Seja firme quando não quiser fazer alguma coisa. Quem for amigo de verdade irá entender.

25.  Troque a academia por uma caminhada ao ar livre:

Falta de dinheiro não é opção pra deixar de fazer exercício. Poupe a mensalidade da academia criando o hábito de caminhar (ou passear com o cachorro) três vezes por semana. Vale até fit dance no Youtube no intuito de emagrecer o bolso!

26.  Viaje com milhas e busque alternativas aos hotéis:

Lembra o programa de recompensas do cartão de crédito? Uma ótima opção pra resgatar os pontos é convertê-los em milhas pra passagens aéreas.

Na hora de escolher a estadia, você também tem a opção de visitar sites que selecionam albergues e casas pra alugar em diversas partes do mundo. Ou ainda, pode trocar alguma habilidade (como tirar fotos) por hospedagem. Sua viagem vai sair bem mais barata. Boas dicas de portais com opções de estadia mais em conta são:

– Couchsurfing.co 

– Airbnb

– Hostel world

– Worldpackers

27.  Não ignore os pequenos gastos:

Um cafezinho depois do almoço e o lanchinho da tarde não fazem diferença no seu orçamento, certo? Errado! Algumas pessoas acabam ignorando os pequenos gastos do dia a dia sem perceber que, muitas vezes, eles são os principais vilões do orçamento.

28.  Aprenda alguns truques de decoração:

Você não precisa gastar horrores pra deixar sua casa mais bonita. Hoje existem vários sites que trazem dicas pra reaproveitar materiais e criar decorações gastando bem menos do que você imagina. Veja dois sites bacanas pra se inspirar:

– Madame Criativa

– Minha Casa, Minha Cara

29.  Aprenda o básico da costura:

Saber pregar um botão ou fazer a barra de uma calça não é nenhum bicho de sete cabeças. Vale pedir ajuda pra tia e pra avó pra aprender a se virar na costura e economizar no conserto das roupas.

30.  Prefira resolver as coisas sozinho em vez de contratar um serviço:

Será que você precisa mesmo de uma faxineira duas vezes por semana? Ou de um pintor pra mudar a cor das paredes do seu quarto? Sempre que possível, procure fazer as coisas sozinho pra não ter que gastar contratando alguém. Sem contar que, com uma boa música alta, essas atividades podem ficar bem mais divertidas.

31.  Evite comer fora:

Tem dias que não tem jeito, mas procure evitar as refeições fora de casa sempre que possível. Leve comida de casa pra almoçar no trabalho de vez em quando e, no fim de semana, tente fazer sua própria pizza em casa em vez de usar o delivery.

32.  Pare de assinar jornais e revistas:

A internet está aí pra isso. Você não precisa mais gastar com assinaturas pra se manter bem informado.

A conta que ninguém te conta!
Falando em serviços desnecessários, você sabia que tem muita gente que paga tarifa bancária sem usar tudo o que está incluso? Mais especificamente 99% das pessoas. Vale a pena fazer um Detox financeiro e cortar alguns gastos aqui também, aderindo, por exemplo, a uma conta básica gratuita.

33.  Foque em quitar suas dívidas:

Se você está endividado, sua primeira prioridade financeira deve ser quitá-las. Se conseguir pagar à vista, é preferível pra conseguir um bom desconto nos juros. Se não, faça uma contraproposta aos credores pra conseguir parcelas que caibam no seu orçamento. Caso esteja em modalidades caras de crédito, como cheque especial e rotativo do cartão de crédito, avalie pegar um empréstimo com juros menores, como o oferecido pelo Just. Com o dinheiro, você quita suas dívidas e passa a pagar menos juros.

34.  Concentre os vencimentos das parcelas no início do mês:

Assim, logo que seu salário cai, você já separa o valor necessário pra pagar as dívidas antes mesmo de pensar em gastar com outra coisa.

35.  Poupe o que for possível:

Tudo bem que o ideal é guardar 15% da sua renda, mas se você está endividado dificilmente você conseguirá reservar esse valor pra poupança neste momento. O segredo então é poupar o que for possível até você conseguir se reestruturar: R$ 5 ou R$ 10, não importa. A grande sacada aqui é criar o hábito de poupar.

36.  Crie uma meta de poupança mensal:

Sem dívidas, você deve poupar pelo menos 15% da sua renda todos os meses. Sem desculpas. Se achar difícil guardar, por exemplo, R$ 600 por mês, divida a meta por semana (R$ 150) ou até dia (R$ 20).

37.  Encare a poupança mensal como mais uma de suas despesas:

No dia em que seu salário cair, já mande pra poupança o valor que você se propôs a guardar. Imagine que sua poupança mensal é mais uma conta que tem vencimento e não pode deixar de ser paga.

38.  A cada compra não planejada, mande 10% pra poupança:

Uma boa forma de controlar os gastos não planejados é se propor a mandar 10% do valor que você gastar pra poupança. Quer comprar um tênis de R$ 300? Então, você precisa ter R$ 330 na conta: R$ 300 pra compra e R$ 30 pra poupança. Assim vai ficar mais fácil se controlar.

39.  Recebeu um dinheiro extra? Guarde!

Créditos da nota fiscal paulista, restituição do Imposto de Renda e até 13º salário são recursos com os quais não contamos (ou não deveríamos contar) no dia a dia. Logo, não precisamos deles pra nos manter. Assim que eles entrarem na conta, mande-os direto pro seu investimento pra não ter tempo de arrumar um pretexto pra gastá-los.

Se você não tem um investimento, não tem problema. Nós te ajudamos! Visita o Órama, uma plataforma de investimentos online, sem custos, que oferece excelentes opções de investimento. Você pode se cadastrar online e ter acesso a boas aplicações, como fundos de investimentos e títulos de renda fixa.

40.  Crie uma reserva de emergência:

Seu primeiro objetivo financeiro deve ser criar um fundo de emergência pra se prevenir contra as adversidades da vida. Seguindo as quatro dicas anteriores, você conseguirá juntar esse dinheiro mais rápido do que você imagina e estará pronto pra galgar metas financeiras maiores.

41.  Faça um cofrinho:

Todos os dias, guarde todas as moedas da sua carteira num cofrinho. Sem muito esforço, você terá mais um dinheirinho extra daqui a alguns meses.

42.  Não corte gastos com saúde:

Esse deve ser seu último gasto a ser revisado. Ter um bom plano de saúde e fazer check ups periódicos são práticas fundamentais pra manter a qualidade de vida.

43. Compre medicamentos genéricos:

Eles são bem mais baratos do que os medicamentos que carregam as marcas dos grandes laboratórios. A dica é seguir o princípio ativo da receita do médico.

44. Apague a luz:

Uma prática supersimples que pode ajudar (e muito!) a diminuir sua conta de energia elétrica.

45. Cultive uma pequena horta em casa:

Além de ser um passatempo interessante, você pode economizar na compra de verduras e temperos.

46. Faça compras no atacado:

Vale a pena comprar os produtos que você mais consome em casa em um atacado, que oferece preços bem mais convidativos que os supermercados. Só atente pra data de validade.

47. Compre um filtro de água:

Em vez de gastar com galões de água mineral, uma boa ideia é comprar um filtro de água. Há desde os modelos mais simples, como o de barro, até os purificadores de água, que filtram e gelam a água da torneira.

48. Seque a roupa no varal:

Nada de máquina de secar. Opte sempre por secar as roupas no varal pra economizar energia.

49. Tenha um celular pré-pago:

Os planos pós-pagos não têm limites e acabam favorecendo gastos maiores no celular. Nos planos pré-pago e controle, quando os créditos acabam, você não consegue mais usar o celular a não ser que o carregue de novo. Se isso acontecer, você certamente vai maneirar mais da próxima vez.

50. Alimente-se bem:

Isso pode parecer uma dica de saúde, mas comer bem também faz bem pro seu bolso. Quem mantém uma alimentação saudável e equilibrada adoece menos e, logo, gasta menos no médico.

51. Adie grandes compras:

A gente sempre acha que precisa de um produto e já sai comprando, não consultamos preciso, não pensamos em outras alternativas, apenas achamos que é uma necessidade e pagamos muitas vezes um preço alto.

52. Dia Zero:

Escolha um dia da semana para ser seu dia zero gastos, não abrir a carteira significa economia garantida. Organize no calendário um dia por semana e cumpra essa meta.

53. Pagamento caiu, pague!

Coloque todas as suas contas fixas para o dia seguinte do seu pagamento, além de evitar atrasos, você consegue observar o que sobra para as demais despesas.

54. Em casa mesmo:

Chame seu amigos para ir na sua casa como alternativa para aquele barzinho. Você mesmo cozinhar, todo mundo colaborar com o supermercado do evento sai muito mais barato do que ir em um restaurante, ou bar, e vamos confessar não é? Muitas vezes é mais gostoso.

55. A famosa marmita:

Por que não levar comida de casa para o trabalho? Comer fora todos os dias sai muito caro e nem todo mundo recebe vale refeição, que é um dinheiro próprio para isso. Levar comida de casa muitas vezes é uma alternativa saudável para o seu corpo e para o seu bolso.

56. Foco nos descontos:

Existem sites que oferecem cupons de descontos para refeições. Quando você faz pagamentos à vista, muitas vezes é oferecido até 10% na compra. Não é vergonha nenhuma perguntar sobre.

57. Emprestado não sai caro:

Você não tem roupa para uma festa, e já quer comprar algo novo para ter um único look e usar apenas um dia. Que tal pedir emprestado? Sempre temos um amigo, parente, alguém que possa nos ajudar.

Sendo assim, some todas as contas da casa: aluguel (se tiver), supermercado, energia elétrica, água, internet e telefone.

58. Faça uma lista de itens dispensáveis:

Agora é hora de avaliar quais são os pontos em que é possível economizar.

Desse modo, enumere seus gastos em ordem de prioridade e corte — sem pena — as despesas desnecessárias.

Gastos com educação própria ou dos filhos, por exemplo, podem ser tratados como um investimento. Logo, devem ser priorizados e estar no começo da lista.

Já as idas frequentes a cinemas, restaurantes ou pedidos em aplicativos/fast foods durante a semana podem ser diminuídos, porque representam um prejuízo considerável no final do mês.

Os itens que ficarem mais para o final da lista devem ser avaliados para corte ou redução — como os gastos supérfluos.

Essa é uma boa forma de começar a economizar hoje, pois a ação é simples e pode ser adotada imediatamente.

Vale ressaltar que a definição de quais despesas são relevantes (ou não) é uma escolha muito pessoal.

Entretanto, principalmente se você se encontra em uma situação financeira difícil, é necessário ser bem criterioso e realista.

 

59. Entenda que guardar dinheiro é diferente de poupar:

Guardar dinheiro pressupõe que ele estará disponível para que você o pegue a qualquer momento para realizar seus desejos, o que implica que esses valores não servirão para constituir reservas financeiras.

Poupar é diferente, exige um planejamento centrado em quatro pilares: propósito, aplicação, disciplina e motivação.

60. Siga o PAD (Propósito, Aplicação e Disciplina)

Propósito

O propósito deve ser um motivo emocionalmente forte que te fará usar o dinheiro poupado apenas para realizar esse objetivo.

Como também já citei no decorrer do texto, pode ser a construção de uma reserva de emergências, para realizar uma viagem de férias, para trocar o carro, para dar entrada em uma casa, pagar seu casamento…

Enfim, algo que te ajude a se manter focado e motivado até conseguir realizar.

Uma boa maneira de se manter fiel ao seu propósito é escrevendo uma carta com todos os seus sentimentos em relação àquele dinheiro.

Ela deve ser endereçada ao seu “eu” no futuro.

Sempre que tiver um impulso de gastar o dinheiro poupado, você deve ler a carta para se manter firme no propósito.

Aplicação

O passo da aplicação define onde os valores poupados serão guardados. Se em um porquinho na sua casa, em uma conta de banco ou em um investimento.

De antemão, já digo que ao deixar o dinheiro em casa você estará literalmente perdendo dinheiro, por conta dos efeitos da inflação. A poupança também não é a melhor alternativa, embora possa ser utilizada no curto prazo.

Desse modo, vale a pena você pensar com carinho em montar um plano de investimentos.

Disciplina

A disciplina para fazer acontecer está diretamente associada ao motivo, ao seu propósito.

Por isso, ele deve realmente ser muito forte, pois só assim você conseguirá se manter firme e disciplinado com o passar do tempo.

Muitas pessoas desistem de poupar justamente por não definirem aquilo que pretendem alcançar.