Dicionário Financeiro: aprenda os termos que começam com a letra M

M

MACD (Moving Average Convergence/Divergence)

Tipo de ferramenta de análise gráfica utilizada para interpretar sinais que podem indicar uma possível reversão de tendência da variação de preços de determinado ativo. A linha MACD (Moving Average Convergence/Divergence) é a diferença entre uma média móvel exponencial de curto prazo e uma média móvel exponencial de longo prazo. A linha de alerta (signal line) consiste em uma média móvel exponencial gerada a partir da própria linha MACD (Moving Average Convergence/Divergence). Os sinais são gerados a partir da relação existente entre a linha MACD (Moving Average Convergence/Divergence) e a linha de alerta. Eventuais divergências entre o MACD (Moving Average Convergence/Divergence) e as cotações podem indicar uma possível reversão de tendência.

Macroeconomia

Termo utilizado na literatura econômica moderna para definir uma abordagem da análise econômica desenvolvida com base no estudo de quantidades globais ou de agregados.

Mais-valia

Diferença positiva entre o preço de venda de um ativo e o seu preço de compra. Quando essa diferença é negativa, designa-se por menos-valia.

Marcar a mercado

Método de contabilização que avalia um ativo pelo seu preço de mercado. No processo de cálculo de risco de uma carteira, deve-se marcar esta a mercado para determinar a sua evolução ao longo do tempo como resposta às variações de preços dos ativos que a compõem.

Margem

(1) Montante, fixado pelas bolsas de valores e de futuros, a ser depositado como garantia em dinheiro, títulos ou valores mobiliários, pelo cliente que efetua uma compra ou uma venda a termo ou a futuro, ou um lançamento a descoberto de opções. A cobrança de margem visa preservar os interesses dos investidores participantes destes mercados. (2) Montante de garantia exigida pela câmara de compensação, que têm por função a cobertura dos riscos que esta assume ao garantir o cumprimento dos contratos. (3) Diferença entre o preço de venda e o custo de um produto.

Margem bruta

Diferença entre o preço de venda e os custos envolvidos na fabricação de um produto. Esse indicador é uma medida de eficiência na produção.

Margem de contribuição

Valor das vendas líquido dos custos variáveis.

Margem de garantia

Valor a ser depositado como garantia de operações: depósito em dinheiro, carta de fiança ou títulos públicos ou privados, dentre outros ativos aceitos pela bolsa de valores. A margem de garantia é exigida para garantir cada operação, com a finalidade de cobrir o risco de oscilação de preço de dois ajustes diários, ou outro critério estabelecido, senda devolvida ao cliente quando a operação for liquidada.

Margem de manutenção

Valor mínimo de fundos (dinheiro ou ativos) depositados num corretor, que o detentor de uma posição em um contrato de futuros deve disponibilizar a qualquer momento. Este valor é líquido de eventuais perdas diárias acumuladas. Quando, por efeito das variações dos preços de mercado, o valor líquido do depósito se torna inferior à margem de manutenção, o investidor é obrigado a repor o depósito ao nível da margem inicial.

Margem de segurança de tesouraria

Número de dias que uma empresa consegue financiar a sua atividade operacional sem recorrer a recebimentos adicionais.

Margem líquida

Diferença entre o preço do produto e todos os custos e despesas envolvidos na fabricação.

Mark to Market

Procedimento pelo qual diariamente são apuradas e liquidadas as perdas e os ganhos nos contratos de derivados. Este procedimento utiliza o preço de reposição dos ativos, ou seja, qual seria o valor despendido para adquirir a mesma quantidade do ativo no dia. Também conhecido pelos termos em lingua portuguesa liquidação diária de perdas e ganhos ou ajuste diário de perdas e ganhos.

Market Maker

Membro dos mercados de futuros e de opções que tem por função específica assegurar liquidez para os contratos relativamente aos quais se compromete a atuar nessa qualidade.

Market Outperform

Recomendação oferecida pelos analistas a uma ação a qual se espera registrar um desempenho superior ao do mercado.

Market Perform

Recomendação oferecida pelos analistas a uma ação a qual se espera registrar um desempenho idêntico ao do mercado.

Market Share

Termo em língua inglesa que significa participação no mercado.

Market Underperform

Recomendação oferecida pelos analistas a uma ação a qual se espera registrar um desempenho abaixo do mercado.

Maturidade

Prazo de vencimento de um título ou de um derivado. Momento de amortização de uma obrigação.

MAX (VALOR MÁXIMO)

Maior cotação registrada por um título no decorrer de um dia de negociação. Também conhecida por cotação máxima.

MBI (Management Buy-In)

Tomada do controle de uma empresa, através da aquisição de ações da mesma, por parte de uma nova gestão apoiada em um conjunto de investidores fora da estrutura acionista no momento anterior à operação. O MBI (Management Buy-In) nasce da convicção, por parte dos seus promotores, de que a gestão e os resultados da empresa-alvo podem ser substancialmente melhorados.

MBO (Management Buy-Out)

Tomada do controle de uma empresa, através da compra de um número significativo das suas ações, por parte de um grupo de gestores da própria empresa. Normalmente, o financiamento da operação de aquisição é essencialmente realizado com capitais alheios. O MBO (Management Buy-Out) resulta do pressuposto de que a empresa será gerida com maior eficiência com a nova situação acionista.

MCE (Mercado Comum Europeu)

Entidade supranacional que congrega 12 (doze) países da Europa Ocidental (Alemanha, França, Itália, Holanda, Bélgica e Luxemburgo em 1957; Irlanda, Inglaterra e Dinamarca em 1973; Grécia em 1981 e Portugal e Espanha em 1986). Os países membros estabeleceram um sistema que tenderia a fundir seus mercados nacionais em um único mercado, instituindo facilidades para circulação entre eles de mercadorias e serviços; capitais e mão de obra.

M&A (Merger and Acquisition)

Fusão e/ou aquisição de uma empresa por outra.

MED (VALOR MÉDIO)

Cotação média de um título no decorrer de um dia de negociação. Também conhecida por cotação média.

Média Móvel

Tipo de ferramenta de análise gráfica utilizada para eliminar as flutuações nas cotações e volumes das ações, fazendo com que haja menos especulação durante a interpretação diária dos dados. A média móvel demonstra assim, de forma mais perceptível, o sentido da tendência de uma determinada ação, permitindo igualmente confirmar inversões de tendência. Calcula-se a média móvel, normalmente, com base nos preços de fechamento diários. A média móvel simples é obtida somando as cotações de um dado período de tempo (10, 20, 50, 100, 200 dias etc.) e dividindo essa adição pelo total de dias considerados no período. O conceito de móvel implica que periodicamente ocorra uma atualização das cotações, removendo a cotação mais antiga desse período e adicionando a mais recente, refazendo periodicamente o cálculo final. O valor da média móvel varia, portanto, todos os dias. Existem variações à média móvel simples: média móvel ponderada e média móvel exponencial. Estas fornecem mais relevo aos dados mais recentes da série, já que estes, teoricamente, são mais sensíveis aos acontecimentos mais recentes, e, portanto, mais relevantes durante a detecção de eventuais mudanças de tendência.

Médio prazo

Prazo que medeia entre 1 (um) e 3 (três) anos.

Mega bolsa

Sistema de negociação da BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo), que englobou o pregão viva voz e os terminais remotos, e ampliou a capacidade de registro de ofertas e realização de negócios em um ambiente tecnologicamente avançado.

Meio monetário

Meio líquido de pagamento que serve para a realização de trocas comerciais: dinheiro, notas e moedas.

Membro compensador

Membro do mercado de futuros cujas funções consistem na liquidação e na compensação das operações naquele realizadas. Em vários mercados, podem igualmente exercer funções de negociação.

Membro de compensação

Membro que faz parte da câmara de compensação, escolhido sob rigorosos critérios. Os membros de compensação são responsáveis pelo cumprimento dos contratos sob sua responsabilidade.

Membro negociador

Membro dos mercados de derivados cuja função consiste na realização de operações por conta própria e/ou de terceiros.

Mercado aberto

Mercado onde são negociados títulos públicos já emitidos. Também conhecido por mercado secundário.

Mercado a termo

Mercado onde se determinam quantidade, preço e data da liquidação de uma operação. As operações são processadas para liquidação diferida, em geral após trinta, sessenta ou noventa dias da data de realização do negócio.

Mercado a vista

Mercado no qual a liquidação física (entrega dos títulos pelo vendedor) se processa no 2º dia útil após a realização do negócio em pregão e a liquidação financeira (pagamento dos títulos pelo comprador) ocorre no 3º dia útil posterior à negociação, somente mediante a efetiva liquidação física.

Mercado de ações

Segmento do mercado de capitais, que compreende a colocação primária em mercado, de ações novas emitidas pelas empresas, e a negociação secundária (em bolsas de valores e no mercado de balcão) das ações já colocadas em circulação.

Mercado de balcão

Mercado de negociação de títulos sem lugar físico determinado (virtual) para as transações, as quais são realizadas por telefone entre instituições financeiras. São negociadas ações de empresas não registradas em bolsas de valores e outras espécies de títulos, permitindo às empresas de menor dimensão, a transação dos seus títulos a custos substancialmente inferiores. Não é, portanto, um mercado organizado onde se faz o encontro entre a procura e a oferta, mas sim um conjunto de encontros particulares.

Há duas modalidades distintas desse mercado: mercado de balcão não organizado e mercado de balcão organizado.

Também conhecido pela sigla em língua inglesa OTC (Over The Counter).

Mercado de balcão organizado

Sistema organizado de negociação de títulos e valores mobiliários de renda variável, administrado por entidade autorizada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). O mercado de balcão organizado é regulado pela Instrução CVM n. 243, de 01/03/1996, que disciplina o seu funcionamento, e tem como principal finalidade servir como um estágio para as empresas que desejam ter suas ações negociadas em bolsa de valores. São empresas que ainda não possuem porte econômico que justifique registro em uma bolsa de valores; que necessitam de um período para se adaptar às normas mais exigentes; e cujas ações ainda não possuem liquidez.

Também conhecido pela sigla SOMA (Sociedade Operadora de Mercado Aberto), funciona como um pré-vestibular para empresas que pretendem mais tarde ter suas ações negociadas nas bolsas de valores. Apresenta como vantagens principais um menor custo e menores exigências.

Mercado de balcão não organizado

Mercado de compra e venda de ativos sem a coordenação de uma bolsa de valores, no qual as transações são normalmente conduzidas pelo telefone, sendo negociadas ações de empresas não registradas em bolsas de valores e outras espécies de títulos. Participam deste mercado corretoras, distribuidoras, alguns bancos e pessoas físicas.

Mercado de bolsa

O Mercado de Bolsa é um segmento de negociação de ativos administrado pela Bolsa de Valores, com regras específicas, onde os negócios e os participantes diretos são supervisionados pela Bolsa de Valores.

No Brasil, o Mercado de Bolsa é administrado e supervisionado pela Bolsa de Valores de São Paulo. As Corretoras de Valores atuam como intermediárias neste mercado.

Mercado de capitais

(1) Conjunto de operações de transferência de recursos financeiros de prazo médio, longo ou indefinido, efetuadas entre agentes poupadores e investidores, por meio de intermediários financeiros. (2) Toda a rede de bolsas de valores e instituições financeiras (bancos, companhias de investimento e de seguro) que opera com compra e venda de títulos.

Mercado de crédito

Mercado onde se realizam operações de financiamento a curto e médio prazos, de consumo corrente e dos bens duráveis, além do capital de giro das empresas. Os principais atuantes deste mercado são bancos comerciais e múltiplos, além de companhias financeiras.

Mercado de derivativos

Mercado no qual compradores e vendedores negociam títulos cujos valores dependem (ou derivam) de outros ativos e/ou variáveis. O mercado de derivativos é composto pelas seguintes modalidades: termo, opções de compra ou venda, futuro.

Mercado de opções

Mercado no qual são negociados direitos de compra ou de venda de um lote de valores mobiliários, com preços e prazos de exercício preestabelecidos contratualmente. Por esses direitos, o titular de uma opção de compra paga um prêmio, podendo exercê-los até a data de vencimento da mesma ou revendê-los no mercado. O titular de uma opção de venda paga um prêmio e pode exercer sua opção apenas na data do vencimento, ou pode revendê-la no mercado durante o período de validade da opção.

Mercado eficiente

Mercado em que toda a nova informação é imediatamente incorporada nos preços dos ativos transacionados.

Mercado financeiro

Mercado voltado para a transferência de recursos entre os agentes econômicos. No mercado financeiro, são efetuadas transações com títulos de prazos médio, longo e indeterminado, geralmente dirigidas ao financiamento dos capitais de giro e fixo.

Mercado fracionário

Mercado onde é negociada uma quantidade de ações que não chega a completar um lote padrão do papel.

Mercado futuro

Mercado no qual são realizadas operações, envolvendo lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros, para liquidação em datas prefixadas.

Mercado integral

Mercado onde são negociados lotes padrão do papel.

Mercado organizado

Mercado no qual todas as transações ocorrem em uma bolsa de valores oficial.

Mercado primário

Mercado no qual ocorre a colocação de ações ou outros títulos, provenientes de novas emissões, no mercado de capitais. As empresas recorrem ao mercado primário para completar os recursos de que necessitam, visando ao financiamento de seus projetos de expansão ou seu emprego em outras atividades, já que o produto da venda reverte a favor da entidade emitente.

Mercado secundário

Mercado no qual ocorre a negociação dos títulos adquiridos no mercado primário, proporcionando a liquidez necessária para o investimento. Integram o mercado secundário, o mercado de bolsa, o mercado de balcão e os mercados especiais.

MERCOSUL (Mercado Comum Sul Americano)

Associação formada entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai com o objetivo de fortalecer estes países, aumentando a integração entre eles e unificando suas políticas setoriais e macroeconômicas.

Merval

Índice da Bolsa de Valores da Argentina. Representa as ações mais negociadas do mercado argentino.

Meta

Segmento de negociação eletrônica da BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo), apoiado no estabelecimento de preço base de negociação uma vez ao dia (fixing) e na atuação do promotor de negócios, que é uma pessoa jurídica, indicada pela empresa, que assume o compromisso de registrar diariamente ofertas firmes de compra e de venda para o papel no qual se registrou, de acordo com normas regulamentares determinadas pela BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo).

Metodologia RiskMetrics

Metodologia líder no mercado mundial para estimação de risco de mercado, originalmente lançada pelo J.P. Morgan em 1994 e atualmente sob controle do RMG (RiskMetrics Group).

Microeconomia

Termo utilizado na literatura econômica para caracterizar a abordagem da análise econômica baseada no estudo do comportamento das unidades individuais, tais como empresas, consumidor etc.

MIN (VALOR MÍNIMO)

Menor cotação registrada por um título no decorrer de um dia de negociação. Também conhecida por cotação mínima.

Minicontrato Futuro

Os mínis futuros representam apenas uma fração do tamanho dos correspondentes contratos-padrão de futuros, com mecanismos similares de garantia e ajustes diários. No vencimento, entretanto, os mínis são liquidados financeiramente, sem a possibilidade de entrega física do produto.

Através da negociação de minicontratos de futuros, o investidor pode realizar operações de proteção (hedge) contra variações adversas de preços a custos mais baixos.

MLCX (Índice Mid-Large Cap)

Criado pela BM&FBOVESPA, o MLCX – Índice BM&FBOVESPA Mid Large Cap tem por objetivo medir o comportamento das empresas listadas na Bolsa de modo segmentado, aferindo o retorno de uma carteira composta pelas empresas listadas de maior capitalização. As ações componentes serão selecionadas por sua liquidez, e serão ponderadas nas carteiras pelo valor de mercado das ações disponíveis para negociação. Código BM&FBovespa: MLCX

MMI (Mercado Monetário Interbancário)

Mercado informal entre bancos que realizam entre si operações à vista e a prazo (geralmente em curto prazo). Os bancos com liquidez excedente momentânea cedem fundos a uma taxa a acordar aos bancos que se encontram em situação inversa.

Moeda de privatização

Títulos usualmente negociados com deságio, que são aceitos pelo governo brasileiro nas privatizações.

Moeda podre

Títulos de dívida que são negociados no mercado com deságio devido à dúvida sobre a capacidade do emissor em efetuar o pagamento no vencimento.

Momento do mercado

Termo utilizado para designar o momento em que se deve tomar a decisão de sair totalmente do mercado durante um declínio econômico, ou de investir durante a recuperação da economia.

Monopólio

Situação de mercado em que existe apenas um produtor para um determinado bem ou serviço, assegurando, portanto, uma situação dominante na comercialização desse mesmo bem ou serviço. A legislação da maioria dos países proíbe o monopólio, com exceção dos exercidos pelo Estado, geralmente em produtos e serviços estratégicos.

Moratória

(1) Disposição unilateral que suspende o pagamento em um prazo fixado por lei ou por força de um contrato. (2) Declaração unilateral executada por um país, afirmando que não pagará uma dívida no prazo estipulado. Esta é uma medida extrema, que pode causar graves prejuízos futuros ao País, já que, depois de uma moratória, as instituições financeiras deixam de emprestar dinheiro ao governo que decretou moratória, ou o fazem apenas mediante a cobrança de juros mais altos (economia internacional). (3) Prorrogação do prazo concedido para pagamento de uma dívida, obtida em acordo entre o devedor e o credor (direito comercial).

MSCI (Morgan Stanley Capital International)

Índice criado pela Morgan Stanley para acompanhar o desempenho das bolsas de valores. Para medir o comportamento das bolsas brasileiras, existe o MSCI-Brasil.

Mutualismo

Reunião de um grupo de pessoas, com interesses seguráveis comuns, que concorrem para a formação de uma massa econômica com a finalidade de suprir, em determinado momento, necessidades eventuais de algumas daquelas pessoas.