Trump quer acionar serviço secreto contra crimes com Bitcoin

Donald Trump irá destinar 4,8 bilhões de dólares do orçamento do país em 2021 para fazer uma manobra de realocação do serviço secreto.

Trump pretende colocar o órgão no Departamento de Tesouro norte-americano com o objetivo de ir contra crimes praticados com o uso de criptomoedas, principalmente o Bitcoin.

Sua idéia é fazer com que o serviço secreto fortaleça suas ações de fiscalização, focando-se em alguns delitos recorrentes no mundo dos criptoativos.

Como se sabe até os terroristas estão usando as criptos para lucrar e facilitar suas operações.

Trump tem convicção que as critpomercado tem fortes ligações com crimes de ordem eletrônica e financeira.

Donald Trump diversas vezes declarou não ser fã de criptomoedas.

De acordo com ele, estes ativos não são dinheiro de verdade, e a falta de uma regulação específica facilita seu uso para atos criminosos. Esta manobra deixa claro que a intensão do presidente é endurecer ao máximo as práticas contra moedas como o Bitcoin.

Quando a nova atribuição dada ao serviço secreto, há uma expectativa de ressurgimento das raízes da organização. Fundada em 1865, seu principal papel na época era evitar a falsificação generalizada da moeda dos EUA. Agora a ideia é utilizar a experiência de seus profissionais em ordem a combater o crime organizado com critpomoedas, com técnicas e tecnologia de ponta.

Esta ação está se encaixando sobretudo em fortalecimento de crimes cibernéticos.

Embora ainda não haja mais detalhes sobre os desdobramentos desta ação presidencial, é esperado que o papel de investigação do serviço secreto contra critpomoedas se encaixe na Rede de Execução de Crimes Financeiros, que controla atos como lavagem de dinheiro e monitora violações da lei de sigilo bancário relativas a ativos digitais. O governo norte-americano já investe milhões em monitoramento de cadeias de blockchain.

 

Fonte: Livecoin